O nome Hornet está guardado para o futuro, diz presidente da Honda.

    O nome Hornet está guardado para o futuro, diz presidente da Honda.

    Quando saiu de linha em 2014, a Honda CB 600F Hornet deixou uma legião de fãs pelo mundo e especialmente no Brasil.
    Com proposta diferente e menos esportiva, a sua substituta CB 650F ainda não conseguiu obter o mesmo sucesso de sua antecessora.

    Líder de vendas na categoria naked de alta cilindrada por 10 anos, a Hornet chegou até a ser tema de músicas, com em “Plaquê de 100”, do MC Guimê.
    A montadora japonesa reviveu recentemente nomes de peso como CB 500, Africa Twin e Twister. Será que a Hornet pode ser a próxima? Em entrevista exclusiva ao G1, o presidente da Honda na América do Sul, Issao Mizoguchi fez revelações sobre o futuro da motocicleta.

    “Eu acredito que tenham preservado o nome Hornet para talvez uma futura oportunidade. Não se pode utilizar para qualquer modelo Hornet, eu acredito”, disse Issao Mizoguchi.

    No período que foi comercializada no Brasil, a Hornet teve 47.723 unidades vendidas entre 2004 e 2014, rendendo a liderança do segmento naked de alta cilindrada por 10 anos.
    No auge, em 2009, a Hornet chegou a vender 6.136 unidades em apenas um ano. Em 2017, a CB 500F, nova líder do segmento chegou a 2.149 unidades, enquanto a CB 650F, que substituiu a Hornet chegou a apenas 758 unidades.

    Atualmente, o nome Hornet é utilizado pela Honda em um modelo de baixa cilindrada. Feita na Índia, a CB Hornet 160R é uma espécie de “irmã” da CG e não tem nada a ver com a naked de alta cilindrada.


    Fonte: g1.globo.com
    Edição: Promenc Motos